terça-feira, 15 de setembro de 2009

Nem todos os caminhos são limpos pelos passos arrastados, cheios do peso inconstante do repentino solavanco da cabeça, que bebe, gira, bate e pensa... pensa repetidamente, deixando escapar vespertinos receios.

Algumas poses para os tomates acanhados que há meses não perdem sua cor. Enquanto sento no muro, observando a rua. Por lá sempre passam duas pessoas.

Ainda tomo meus comprimidos, mesmo depois de curado, almoço sempre sentado no meio do nada, como apressado. Ando de lado quando não sei pra onde ir.

Me assombra a alegria da tarde, o cheiro de café torrado, as flores que giram como se fosse primavera, a água que ondula, arrastada pelo vento que não sobra. Os cabelos molhados, a casa torta, o canto que vem dos pássaros sempre que as vozes se calam.

E lá se vão os dois, como se fossem sozinhos. E eu cá, como se nunca estivesse. Conto onze clichês para cada passo dado, e um bocado de insanidade pra acabar com o que havia traçado. Talvez já se baste uma por diferença.

Anoto o sonho e escondo o papel. A idéia é não acordar, ou descobrir que nunca estive sonhando.

23 comentários:

  1. As imagens criadas por meios de suas palavras, sugerem um mundo nunca visto, um mudo que só
    os olhos de almmas muito sensíveis são capazes de
    sentir...
    Mais uma vez adorei!
    Beijos
    Wacinom

    ResponderExcluir
  2. Estranho. Eu traço uma história enquanto leio seus textos e elas sempre terminam em outras. abraços, meu querido.

    ResponderExcluir
  3. Que bonito! Amei o seu texto, e gostei daqui.
    Voltarei sempre que puder.

    Bjo querido.

    ResponderExcluir
  4. Doce João

    "Anoto o sonho e escondo o papel. A idéia é não acordar, ou descobrir que nunca estive sonhando."

    Leio e releio seus textos, é sempre assim e, a cada momento de releitura mais gosto do que leio...


    Beijos sonhados...

    ResponderExcluir
  5. Essa sua intimidade com as letras me encanta!
    achei o maximo cada linha!

    valeu pela visita.. e pelo e-mail.
    hauahauahsua prometo reponde-lo, inclusive!

    =D

    ResponderExcluir
  6. Escreves como Salvador Dali pintava....

    É belo demais...

    um beijo... vermelho como os tomates

    ResponderExcluir
  7. Quando o sonho é bom... esconde-o para dele consumir tudo... todas as entrâncias.

    Abs meu caro,







    dogMas...
    dos atos, fatos e mitos...

    http://do-gmas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. "Conto onze clichês para cada passo dado, e um bocado de insanidade pra acabar com o que havia traçado."

    incrível,
    como consegues?
    e este final 'profundamente simples'...
    é, realmente o tempo e as imagens de luz não andam juntos, existem chuvas... mas a mente quando é boa garda... esta é nossa salvação...
    sonhos podem ser vividos ou contados...

    abraços,
    e isso é demais!

    ResponderExcluir
  9. Prefiro não acordar e continuar sonhando pra sempre. beijos

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito das coisas que escreve, e como o faz.
    beijão

    ResponderExcluir
  11. A realidade ou o sonho ? São dois lados de uma mesma moeda que nunca sabemos distiguir, e aqueles que o fazem saem da caverna escura da ilusão, mas há quem prefira a ilusão que o sabor amargo da realidade não é mesmo?.
    As vezes não sabemos onde ir ou o caminho se mostra e não o vemos, nos fazemos cegos.
    Um lindo casal, um amor ao pé da serra, a fantasia e os sonhos continuarão sozinhos ou não.
    Caro João, eu amei o texto e tu fez despertar em minha mente o cheiro de flores, café quentinho, leite natural, e grama molhada do campo que a muito não sentia, e essas lembranças doem.

    eu te indiquei um selo no meu blog, depois passa lá e vê.

    [por nada, mas realmente suas palavras soam suave em minha mente.]

    abraços ...

    ResponderExcluir
  12. Tecer palavras...colocar o que se vai nos pensamentos numa folha qulaquer parece ser facil...parece ser simples...acho que é(acredito as vezes)...quando se tem as palavras coladas nas pontas dos dedos...quando se caminha sobre elas....pisando em suas cabeças...e apanhando-as depois...juntando-as...enfileirando...só assim..desse modo se componhe textos tão ricos...tão fortes...tão seu...e nosso...


    Me imagino em personagens que não aparece....mais que estão aqui....nestas linhas suas...


    Ademerson Novais de Andrade

    ResponderExcluir
  13. Anoto o sonho e escondo o papel. esconde mesmo, pra ninguém te plagiar! beijos

    ResponderExcluir
  14. Quem nunca teve uma idéia assim?

    O problema é que no final... bem, no final, deixa pra lá.

    ResponderExcluir
  15. Não anoto o sonho e nem escondo o papel, pois nunca me recordo dos mesmos!

    ResponderExcluir
  16. ... Joao, meu querido.! porque paraste de postar?!
    Abraçoss!

    ResponderExcluir
  17. Ahh João..
    que saudade daqui.

    adorei sua visita.

    e como sempre você esta escrevendo maravilhosamente bem.
    :)

    ResponderExcluir
  18. os passos que se arrastam só espalham mais entulho, eu acho;

    ResponderExcluir
  19. Já que a ideia é não acordar, melhor ficar sonhando com seus belos textos. "Ando de lado quando não sei pra onde ir". Vou experimentar quando estiver desencontrada. :-)

    ResponderExcluir
  20. Eu adoro ler esse tal de João qualquer coisa.
    Que coisa.
    :)

    ResponderExcluir
  21. Passei por aqui para reler um textos. Sou sua fã, definitivamente.

    ResponderExcluir